Má higiene pode levar a irritações causadas pela proliferação de bactérias

Colaboração técnica: system

Com certeza, você já escutou (e passou adiante) algum conselho ensinado desde cedo por avós e mães do tipo “não se sente em qualquer vaso sanitário para não pegar uma infecção”; “nunca use calcinhas de outras meninas”; “não se esqueça de lavar muito bem as mãos antes e depois de ir ao banheiro”; “não fique o dia todo com biquíni”. E por aí vai. Boa intenção à parte, às vezes esses ensinamentos deixam margem a dúvidas e também alguns temores infundados.

Uma pesquisa feita com 422 médicos durante o 15º Congresso Paulista de Obstetrícia e Ginecologia, mostrou que apenas 3% das mulheres pedem orientações sobre higiene íntima.

Para o ginecologista Sergio Mattioda, não existe uma regra geral para a mulher fazer a higiene pessoal. O médico, porém, alerta para alguns cuidados diários a serem observados na hora do banho.

— A genitália feminina deve ser higienizada apenas por fora. O uso de ducha e sabonetes convencionais (na parte interna) é contraindicado porque altera o pH natural, predispondo a processos inflamatórios e infecciosos.

A má higiene, diz o ginecologista, pode levar a irritações causadas pela proliferação de bactérias.

— Quando exacerbadas, podem passar a agredir os tecidos e provocar processos inflamatórios e infecciosos, como corrimentos e vulvovaginites, entre outros.

Os protetores de calcinha também prejudicam a defesa do órgão genital porque comprometem a ventilação perineal.

A duchinha tem sua utilidade para eliminar resíduos. O papel higiênico serve apenas para enxugar a umidade dos tecidos.

— Eles não garantem uma adequada higiene e, além disso, traumatizam os tecidos em contato com a pele —, avisa Mattioda. O ginecologista aconselha o uso de papéis macios, brancos e sem perfume.

A indústria tem desenvolvido aliados da higiene íntima. Hoje, há sabonetes íntimos desenvolvidos especialmente para manter em equilíbrio o pH da genitália.

Tire suas dúvidas

Na hora do banho

— A água deve ser morna, mesmo no inverno.

— Jamais use duchas internas.

No período menstrual

— Redobre a higiene nesses momentos e evite o acúmulo de sangue no absorvente.

— Dê preferência aos absorventes externos.

Calcinhas sintéticas ou de algodão?

— Roupas íntimas de algodão são muito mais adequadas, especialmente as brancas, por não apresentarem corantes.

— As fibras sintéticas não permitem a ventilação ideal da vulva — lycra e materiais semelhantes deixam a genitália mais úmida e, consequentemente, mais sujeita à proliferação de fungos.

Lavagem das roupas íntimas

— Prefira lavá-las com sabão neutro e capriche no enxágue.

— Não deixe resíduos de sabão.

— Na medida do possível, evite também o uso de amaciantes.

— Se for necessário alvejá-las, devem ser fervidas ou alvejadas ao sol.

— Passar pelo lado avesso.

— Não use peças íntimas de outra pessoa.

Fonte: http://zh.clicrbs.com.br – Veja a matéria na íntegra clicando neste link.